Acesso rápido

Programa Odontológico Materno Infantil

O bebê nasceu…

O acompanhamento do desenvolvimento da dentição do bebê, desde os primeiros meses de vida, é muito importante para a garantia de sua saúde bucal. Lembre-se que a criança aprende o que vê e tende a repetir o que os pais fazem. Portanto, pratique regularmente a sua higienização bucal, preferencialmente, junto com a criança. Avalie sempre a boquinha do bebê e, se necessário, procure orientação odontológica.

Como eliminar o hábito da chupeta?

Além de não deixá-la disponível durante o dia e do tradicional uso de chás amargos para banhá-la, pode-se utilizar a técnica da sugestão noturna, que consiste em conversar próximo ao ouvido da criança durante os primeiros 10 minutos de sono. Evite falar a palavra “não” e escolha a orientação que desejar passar.

Qual o benefício do aleitamento materno para a saúde bucal?

  • Contribui para o desenvolvimento correto das arcadas dentárias e para o crescimento harmônico da face.
  • Favorece as funções de mastigação, fonação e deglutição.
  • Desenvolve a respiração pelo nariz, contribuindo na prevenção de amigdalites, pneumonias, rinites e sinusites etc.
  • Proporciona tonicidade à musculatura da face e da língua.

O que é cárie de mamadeira e quais são as suas causas?

É um tipo de cárie precoce, também conhecida como “Cárie Rampante” ou “Cárie de Peito”. Ocorre na primeira dentição da criança, principalmente, nos dentes que ficam na parte de trás da boca. Localiza-se próximo à gengiva, destruindo rapidamente a coroa do dente. É extremamente dolorida, impedindo, muitas vezes, que a criança se alimente adequadamente.

Causas:

  • Uso de substâncias adocicadas na chupeta.
  • Hábito de alimentação noturna.
  • Uso de medicamentos por tempo prolongado, principalmente durante o sono, sem que haja limpeza logo após.
  • Consumo excessivo de alimentos açucarados.

Benefícios da higiene bucal do bebê

  • Prevenção das doenças bucais.
  • Incorporação de hábitos saudáveis.

Como posso evitar contaminar o meu bebê?

As mães são as principais transmissoras de bactérias que causam cárie para os bebês. Daí a importância da realização dos tratamentos odontológicos antes ou durante o pré-natal. Assim, receberão o bebê com seus dentes e gengivas saudáveis. Evite beijar a boca do bebê, soprar e/ou provar papinhas utilizando o mesmo talher. Se a criança for contaminada precocemente, as chances de desenvolver doenças bucais severas na vida adulta serão muito maiores.

O uso da chupeta prejudica a saúde?

A chupeta complementa a satisfação psicoemocional do bebê e pode ser usada, porém, de forma consciente. Deve ser ortodôntica, de bico curvo ou reto e de tamanho compatível com a boca do bebê.

Cuidados:

  • Utilize-a de modo racional, exclusivamente para completar a necessidade de sucção e como estímulo ao desenvolvimento das arcadas dentárias.
  • O uso prolongado poderá causar mau posicionamento dos dentes, desvio do crescimento das arcadas dentárias, além de alterações na forma de engolir e falar.
  • A chupeta nunca deve ficar presa à roupa, pois favorece o hábito do uso constante.
  • A criança não deve conversar com a chupeta na boca.
  • O bebê não pode dormir o tempo todo com a chupeta, pois ficará com a boca aberta e não irá respirar corretamente pelo nariz.
  • A chupeta não deve mais fazer parte da vida da criança quando ela completar três anos.

Até onde o bebê deve mamar durante a noite?

O bebê deve mamar de madrugada só até completar três meses. A mãe vai acertando a frequência das mamadas e montando esquema de hábitos. Deve-se ensinar que a espera ou adiamento de uma necessidade dentro de alguns critérios não prejudica ninguém. Isso é uma forma de amor. O pai ou outra pessoa deve atender a criança quando ela chora de madrugada. O cheiro da mãe, “cheiro de leite”, desperta no bebê o desejo de mamar.

Quais crianças são consideradas propensas alto risco de cárie?

  • Filhos de pais com desenvolvimento acentuado de doenças orais.
  • Crianças que mamam de madrugada após o nascimento dos dentes.
  • Crianças que não têm apoio dos pais para higienização da boca.
  • Crianças que frequentemente dormem sem fazer limpeza bucal noturna.
  • Crianças que consomem alimentação açucarada com grande frequência.