FSFX inova ao criar Laboratório de Felicidade e Bem-Estar

Publicado em 14/10/2019

As empresas que conseguem estabelecer suas conexões e transmitir com transparência e clareza o seu propósito, a razão mais profunda da sua existência - a sua alma - são capazes de tornar o trabalho mais significativo, atrativo, motivante e ainda reter pessoas excepcionais. Foi com essa premissa que a Fundação São Francisco Xavier (FSFX) inovou, mais uma vez, ao criar seu Laboratório de Felicidade e Bem-Estar. O intuito é proporcionar aos colaboradores um espaço para promoção da cultura de felicidade sustentável por meio de ações colaborativas e intervenções positivas.

 

A felicidade tem impacto positivo na vida e no trabalho. Segundo a revista Forbes, pessoas felizes faltam até 66% menos ao trabalho e são 31% mais produtivas. “Tive a oportunidade de participar, recentemente, pela Usiminas, da conferência da SHRM, Society for Human Resource Management, maior encontro mundial de recursos humanos, com aproximadamente 400 painéis simultâneos e 18.000 participantes, que trouxe importantes reflexões sobre a forma de inserção do capital humano nesta jornada de transformações. A centralidade e valorização das pessoas é o fio conector das principais tendências”, explica o diretor executivo Luís Márcio Ramos.

 

Laboratório de Felicidade / Metodologia

 

O Laboratório irá fornecer ferramentas que contribuem positivamente com o clima organizacional para que os colaboradores sintam-se cada vez melhores, produtivos e possam exercer suas funções com mais prazer e satisfação. Por meio do projeto, a Fundação quer estabelecer uma relação de maior confiança entre as pessoas, ampliando a valorização das atividades desempenhadas por cada colaborador e aumentando o nível de engajamento, com impacto direto na satisfação do cliente. 

 

“A construção da felicidade tornou-se tema de relevância para líderes e organizações em todo o mundo. É preciso criar ambientes e condições apropriadas que facilitem a promoção da felicidade e bem-estar nas instituições. Com a implantação do Laboratório de Felicidade, queremos estimular o desenvolvimento de práticas que prepararem nossos colaboradores para o enfrentamento dos desafios diários de forma mais positiva e propositiva, fazendo a diferença no ambiente de trabalho,  na vida dos nossos clientes e das comunidades”, explica o diretor executivo da FSFX, Luís Márcio Araújo Ramos. 

 

A primeira fase do projeto contemplará aulas num Programa Online de Felicidade e Bem-Estar. Na segunda fase será realizado um workshop para identificação dos pontos positivos da Instituição e gaps a serem trabalhados, que serão objetos de planos específicos para a abordagem e evolução dos temas.  Na fase de conclusão estaremos fazendo a disseminação e multiplicação dos conhecimentos a todos os colaboradores. 

 

Durante o desenvolvimento do programa será aplicada a Teoria da Felicidade baseada no modelo PERMA, que consiste em: Positive Emotion (emoção positiva); Engagement (engajamento); Relationship (relacionamentos positivos); Meaning (significado); Accomplishment (realização). A metodologia será utilizada para a construção do bem-estar dos colaboradores.

 

No escopo do projeto, a FSFX buscará a certificação Planetree Internacional, que reconhece as instituições que possuem a filosofia do cuidado centrado na pessoa. Neste modelo os clientes e familiares ganham protagonismo, participando ativamente das decisões de tratamentos e cuidados. Os ambientes são tratados para promover o bem-estar e favorecer a recuperação. Os colaboradores são plenamente envolvidos e ativos num processo de aprendizagem contínua. O projeto será conduzido em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein.

 

Evento de lançamento

 

Para o lançamento do programa, as lideranças da Fundação participaram de um workshop bem dinâmico sobre o tema. O evento foi realizado em um espaço lúdico e contou com diversas atividades que desafiaram os colaboradores a superarem os seus limites, a trabalharem em grupo e apropriar-se de momentos de felicidade. “Foi um momento de muito aprendizado e autoconhecimento, pois todos nós devemos buscar a nossa satisfação e bem-estar e devemos ser os grandes responsáveis pela nossa felicidade. Saber que a Instituição está preocupada com o nosso bem-estar e vai investir nessa vertente é uma alegria muito grande, pois quando trabalhamos felizes, tudo ao nosso redor conspira para que as coisas sejam feitas com mais empenho, dedicação e alegria. Quando somos felizes, externamos esse sentimento e podemos prestar um atendimento melhor às pessoas”, revela Fernanda Brito, supervisora de Transportes.